pensando bem…

uma criança que dormiu cedo, promessa de noite tranquila – pra mim. mas foi exatamente o contrário. mesmo depois de um dia inteiro de atenção quase exclusiva, o sono da noite foi conturbado. será que ainda faltou um pouquinho? será que esse dia tocou em algo que estava adormecido e que veio pra superfície, pois sabia que seria atendido? seja o que for, aconteceu. sono leve, pedia minha presença, acordava a cada 20 minutos, passava os braços pelo meu pescoço, queria me saber perto, encostada. fiquei. levantava quando o sono pesava um pouquinho, porque precisava estudar para duas provas na manhã seguinte. teria que acordar cedo, sair sozinha, deixá-la em casa. ainda bem que com o pai ela fica bem. mas ainda era noite, eu precisava estudar – e comer, se não fosse pedir muito. era. voltei pro quarto várias vezes. teve choro, teve xixi, teve carência. eu pedi aos céus, a Deus, aos santos, à Mãe e toda legião que nos protege que acontecesse o que tivesse de ser, incondicionalmente, porque eu já estava tentando dar o meu melhor, mas nem tudo posso controlar. entreguei.
deitei, tentei dormir. a noite não foi das melhores, mas deu pra descansar alguma coisa – com ela em cima de mim, mas era o que tinha. antes do despertador tocar ela já estava acordada, o que significa que eu também estava. tomou banho comigo, conversou, pulou, brincou. eu já estava a beira de uma irritação, queria estar sozinha pra ser mais rápida. lembrei que tinha pedido proteção. estava acontecendo o que tinha que acontecer. ela quis sair comigo, chorou quando fechei a porta. fui. estive sozinha por quatro horas, foi bom. na volta, muito colo e vários papos. fizemos o almoço, comemos, ficamos por aqui. o dia continuava estranho. não era sobre lá fora, produtividade, trabalho e essas coisas da vida real. era a gente mesmo, coisa nossa, interna, misteriosa. os dois adultos da casa cansados, sem conseguir fazer muita coisa. vimos filme quando ela cochilou, nos deixamos ficar assim. nessa estranheza que vez em quando vem nos visitar. por que será que acontece? por que será que, de tempos em tempos, ficamos assim? com a energia meio baixa, a vontade rareando e fazendo só o que for realmente muito necessário. e ela ainda animada, demandando, pedindo. a gente dá aquilo que tem e pode. tem dias que a gente tem pouco. tem dias que não temos pra nós, mas temos que ter pra dar, como já cantou djavan.
fim do dia, respirar lá fora, tentar dar um ânimo. café, pão, rosquinhas. já era noite.
e a conclusão de que hoje foi mesmo esquisito e quase ruim, será que dá pra apagar e começar de novo?
e eu tornei a me lembrar.
da proteção que eu pedi ontem. da oração antes de dormir.
e a resposta que sempre chega rápido mas nem sempre do jeito que esperamos – tanto que por vezes esquecemos. mas ela vem. sempre vem. chega como um dia estranho que só conseguimos fazer o extremamente necessário e não conseguimos nem brincar direito. chega como os atrasos pra sair de casa. nos planos que furaram. no esquecimento repentino de uma reunião marcada. na falta de energia que nos obriga a ficar em casa e só descasar.
ela vem.
na verdade, ela já chegou.
e era pra ser assim. sempre acontece exatamente o que tem de ser. se fosse pra ser diferente, estava sendo.

então, obrigada. pela proteção diária. por nos fazer estar exatamente onde deveríamos estar. para viver e aprender o que estiver acontecendo. e fazer existir a lembrança de que nada é em vão debaixo desse céu.

escrevi coisas pelas quais sou grata hoje. escrevi. e me senti protegida. eu realmente senti. então está tudo bem. que bom que eu consegui perceber.

Anúncios

Um comentário sobre “pensando bem…

  1. márcio almeida

    Muito bom esse texto, Marina. Bem verdadeiro com você mesma e, ao mesmo tempo, tão próximo de meus sentimentos (e acredito que dos de muitas outras pessoas também). E é assim mesmo: o que tem de vir, virá, independente do que a gente faça. Às vezes, de fato, é preciso se entregar, porque lutar, além de não nos levar a lugar algum, atrapalha a nossa compreensão da situação. Pedir proteção sempre. Ser grata sempre. Não se preocupar, não se zangar, ser gentil para com todos e trabalhar honestamente em seu propósito. Você tá conseguindo, e não é fácil. Parabéns pelo texto.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s